HISTÓRIA

Outras modalidades

Após as façanhas conquistadas na década de 60, surgem as dificuldades de cunho financeiro, forçando o clube a paralisar o futebol profissional em 1973, porém o clube ainda disputaria os Campeonatos Mineiros de 1970, 1971 e 1972, realizando apenas campanhas discretas. Ainda em 1970 o Tupi venceria o Fluminense do Rio de Janeiro em um amistoso por 2 a 1.


Em 1975 o Tupi renasce das cinzas, retomando as atividades do futebol, e conquistava em 1976 o título do Torneio de Integração Regional. O clube ainda conquistaria por mais duas vezes este torneio, em 1977 e 1978, demonstrando ter se recuperado das dificuldades do início dos anos 70. Entretanto, a volta ao futebol profissional só aconteceria em 1980. Retorno esse que se deve principalmente ao esforço de um grupo de torcedores e amigos do Galo, que pagaram do bolso todas as suas despesas. Nesta época começava uma grande demonstração de amor da torcida para com o clube. Participaram desta comissão: Walter Corrêa (o Canário), que já tinha presidido o Clube entre 1972 e 1976 e voltaria a presidir em 1981, Geraldo Magela, Adão Vadeck Acauhi, João Pires, Paulo Neves, Ouadi Salomão (Dadú), Jorge Aleixo e Rui Lacerda.

Além do futebol, que sempre foi o “carro chefe” do clube e o seu maior promotor, o Tupi, no final da década de 60 e início da década de 70, passou a se destacar também em outros esportes, entre eles o Futebol de Salão, a Bocha e a Malha. Entretanto, muito antes disso, ainda nos 30, foram introduzidas no clube modalidades como o Basquete, o Ciclismo, o Vôlei e o Atletismo, como relata a reportagem publicada na Revista do Tupi, 70 anos de glórias. O Tupi, entre os clubes da cidade, foi o pioneiro a adotar estes esportes no clube, mais uma vez mostrando a importância deste clube para a cidade de Juiz de Fora. Entre os maiores incentivadores estava o presidente do Tupi, o Tufy Ahouagi.


Ainda segundo a matéria da revista, entre 1935 e 1950, o Tupi teve grandes equipes nestas modalidades, dentre os principais atletas estava Paulo Guedes, considerado por muitos o melhor de todos os tempos, pois ele fazia parte das equipes de futebol, vôlei, basquete e atletismo. A reportagem ainda relata que em toda década de 50, o vôlei feminino do Tupi dominava os títulos da cidade, além de títulos no interior mineiro. Mesmo diante de todas as dificuldades da época, como falta de investimentos, falta de locais para treinos e jogos, o clube não deixava de disputar os torneios e elevar o nome do clube e da cidade. Entretanto a falta de uma entidade oficial controladora destes esportes forçou o clube a paralisar as atividades destas modalidades na época. Em 1962, o Tupi inaugurava o seu Estádio Aquático, com o objetivo de incentivar mais uma modalidade no clube.


O Futebol de Salão também foi uma modalidade inserida no clube. Entre 1969 e 1971, o Tupi foi tricampeão invicto pela categoria juvenil na cidade, e um pentacampeonato no adulto, entre 1971 e 1975. Na época, o clube era destaque das principais páginas esportivas dos jornais da cidade, como uma das melhores equipes de futebol de salão de Juiz de Fora. Destaques do time adulto para Fernando, Márcio Castro, Júlio, Paulo Eli, Márcio Lage, Geraldinho, Carlos Alberto, Carvalho e Jarbas. Apesar das conquistas, o esporte teve uma breve paralisação, retomando as atividades em início dos anos 80.


A matéria publicada na revista ainda afirma que, o Tupi, no ano de 1971, se interessou por um esporte que seria um dos pontos fortes do clube anos seguintes e considerado o principal esporte amador praticado no clube, a Bocha. A prática deste esporte era feita em casas comerciais, bares, botequins e mercearias, e o Tupi em 1971, construiu a sua primeira raia, sendo um dos pioneiros em Juiz de Fora, ao lado do Clube Náutico e do Clube Mariano Procópio.
A Bocha foi introduzida na cidade na década de 40, pela colônia italiana, quando era praticada apenas na casa D´Italia. Ao longo dos anos, o esporte foi sendo introduzido em outras praças da cidade, as quadras foram se modernizando, e em 1972 foram iniciadas os primeiros campeonatos, como os campeonatos da cidade, a Taça Minas Gerais, o Campeonato Brasileiro de Seleções e a Taça Brasil.


Em 1975 é fundada a Liga Bochófila de Juiz de Fora, por Sebastião Cícero Aragão. Em razão da grande organização, a entidade se tornou modelo no país, e se tornou na época a Metrópole da Bocha no Brasil. O Tupi sagrou-se campeão da IV Taça Minas Gerais em 1978, tendo enfrentado equipes como o Cruzeiro, Palmeiras, América Mineiro, Praia Clube de Uberlândia, América de São João Del Rei, Dente de Leite e Tupynambás.
Outro fato que marcou esta época na Bocha juizforana, segundo a matéria da revista, estimulado pelo Tupi, foi a criação de equipes femininas para a disputa da modalidade, sendo Juiz de Fora a pioneira ao implantar esta categoria. A equipe feminina do Tupi chegou a conquistar o bicampeonato do Torneio Municipal nos anos de 1976 e 1977.


Ouadi Salomão, o Dadú, era considerado um dos grandes incentivadores do esporte dentro do Tupi, pois acompanhava todas as competições das equipes carijós. Outro nome importante na modalidade dentro do clube, foi Sebastião Pires de Almeida. Além de Ouadi e Sebastião, outros grandes nomes da Bocha do Galo foram Elói, Abiguá, Paulinho, Zizinho, Wilson, Tatão, Waltinho, Guilherme entre muitos outros.


O Tupi em 1973, tinha uma das melhores pistas de malha do Brasil. O clube que iniciou suas atividades neste esporte no ano de 73, chegou a disputar e conseguir grandes resultados na Taça Brasil, realizada em 1981 no Clube da Malha de Jacarepaguá, no Rio de Janeiro, ficando em terceiro lugar. O Galo tinha um departamento muito organizado e com isso ganhava muitos adeptos ao passar do tempo.


A malha foi introduzida em Juiz de Fora de forma oficial em 1968, por Nilo Bastos Lima, apesar de já praticada, porém de maneira irregular, no que se dizem as regras da modalidade. O mesmo Nilo Bastos introduziu o esporte em diversas praças do interior mineiro como Leopoldina, Cataguases, Ubá, Bicas, etc. A Malha do Tupi conquistou diversos títulos, como o título do Interior em 1979 e do Estado em 1980, além de outras grandes participações em vários outros torneios.


O futebol de mesa, para muitos futebol de botão, é outra modalidade que já rendeu ao clube diversos títulos, inclusive em nível nacional. Na foto abaixo, a equipe campeã brasileira de futebol de mesa em 2013.

 

Campeoes Brasileiros 2013 3 toques.jpg